Armazenamento, transporte, distribuição, recursos humanos, organização.

Reversão dos bens após–venda

A análise do fluxo reverso dos bens após–venda, observa-se que os dois sistemas reversos se entrelaçam pela multiplicidade de possibilidades de comercializações e industrializações nas etapas reversas. 
Os produtos de pós-venda retornam através da própria cadeia de distribuição direta, tendo, em geral, como origem do retorno um dos elos da cadeia ou o próprio consumidor final e tendo como destino o fabricante do produto.
As etapas iniciais de retorno dos produtos não consumidos constituem-se da coleta nos locais de origem, consolidações físicas geográficas e de quantidade, seleção de destino dos produtos retornados e expedição aos destinos. Recursos logísticos de transporte, de armazenagem e de movimentação interna, mão de obra e sistemas de informações são consumidos nos processos de retorno.
O gerenciamento do fluxo reverso envolve, portanto, a administração desses recursos, estabelecendo ciclos curtos de tempo de retorno, que repercutirão na recuperação de valor das mercadorias retornadas Lacerda (2003, p.480-481) destaca que o tempo de retorno adiciona custos pelo atraso na geração de caixa e pelo custo de locais de armazenagem, ressaltando que tempos altos de retorno são gerados por ineficiências e de carência de recursos colocados à disposição da logística reversa.
Os principais destinos dos produtos retornados ainda não consumidos que estão relacionados a seguir;
1. Revenda no mercado primário neste caso os produtos retornados têm condições de ser enviados novamente ao mercado de origem. O exemplo clássico é o remanejamento (tornar a manejar) de stocks nos canais de distribuição.
2. Reparações – No caso de exigências desta natureza, os produtos de retorno serão destinados às reparações necessárias e poderão ser novamente comercializados no mercado primário ou, mais frequentemente, no mercado secundário.
3. Desmanche – O destino de desmanche ocorre quando o bem retornado se apresenta sem condições de funcionamento para o fim proposto em seu projeto e existe valor a ser recuperado pelo uso de seus componentes. Exemplos como o dos automóveis, máquinas, equipamentos eletroeletrônicos, produtos salvados em acidentes de trajecto, entre outros, são citados pela bibliografia consultada.
4. Remanufactura – Este processo se dá quando o produto retornado ou seus componentes apresentarem condições de serem reparados ou reelaborados parcialmente de forma a adquirir condições de venda em mercados secundários. Muitas empresas de grande porte utilizam o sistema de desmontagem de componentes para alimentar o seu mercado de peças de reposição, recuperando valores apreciáveis.
5. Reciclagem industrial – Os subconjuntos ou partes da estrutura dos bens são comercializados com empresas especializadas na reciclagem dos materiais constituintes desses produtos.
6. Disposição final – Não havendo nenhuma outra solução para agregar valor de qualquer outra natureza ao produto retornado ou a seus componentes e materiais, estes são destinados a aterros sanitários ou a processo de incineração, nesse caso, ainda recapturando valor energético.
7. Doação – Destino de produtos retornados quando existe interesse de fixação de imagem corporativa da empresa. Exemplo clássico é o de computadores, que apresentam baixo tempo de vida útil e que podem apresentar interesse de reutilizar.
Os produtos entram nos canais de retorno por uma variedade de motivos, tais como: o fim de validade do produto, estoques excessivos no canal, produtos em consignação, problemas de qualidade e defeituosos.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: