Layout III

Área reservada para carga em processo de perdição (que ficam dentro do armazém por mais de 90 dias e na qual o dono não vá fazer o requerimento da mesma).
Ruas/corredores para circulação de pessoal e empilhadoras.
Área reservada apenas para manutenção de equipamentos, como por exemplo as empilhadoras, entre muitas outras.
Algo que muitas vezes recebe o menosprezo durante o projeto do armazém, talvez não por sua importância, mas por ser algo extremamente básico é onde ficarão localizadas as portas do armazém, isso sem dúvida é de suma importância no desenvolvimento de um bom layout, pois é através das portas que as cargas entrarão e sairão do armazém, e de acordo com sua localização é possível determinar o método para se percorrer a menor distância com o material dentro do armazém minimizando assim despesas e riscos de avarias.
Outras duas características para o modelo do layout do armazém que influenciam muito o manuseio de materiais é a planificação do terreno de forma que ele facilite a movimentação das cargas que serão futuramente manuseadas, e o formato que o armazém terá, como retangular, cúbico, visando seu tamanho para poder atender a um crescimento da demanda de mercado.
Tudo isso deve ser minuciosamente pensado de acordo com um benchmarking visando as melhores técnicas de layout de armazém para se tirar o proveito máximo do mesmo.

Muitas empresas utilizam diversos modelos matemáticos para a criação do layout de um armazém seja ele de qualquer tipo, porém aqui não abordaremos quais são e como são usados esses modelos devido esse tema fugir do escopo principal do desenvolvimento deste trabalho.

Layout II

Todos esses objetivos visam gerar excelência na futura gestão do armazém fazendo assim com que os impactos de custo sobre a armazenagem sejam reduzidos o máximo possível, porém sem reduzir a qualidade do serviço prestado.
Para a escolha de um layout de armazém é necessário saber que tipo de material será manuseado em seu interior, já que cada tipo de material necessita cuidados diferenciados por apresentarem características diferentes, como por exemplo material bélico e produtos perecíveis. No caso do armazém for utilizado para a armazenagem de mais de um tipo de produto sendo estes muito diferenciados deve-se pensar em como será a divisão de suas áreas internar para acomodação do material em questão.
Um exemplo claro de armazém que manuseia produtos de diferentes tipos são armazéns de aeroportos que manuseiam carga, como no caso do armazém dos aeroportos, dentro da mesma planta de armazém se recebe produtos para importação e exportação dos mesmos, sendo que para diferentes cada tipo de carga existe uma área diferente, como:
  • Áreas climatizadas frigoríficas diferentes que vão desde -15°C até 15°C.
  • Estantes normais para cargas com peso de 100kg a 1000kg.
  • Estantes com enormes gavetas para cargas com peso inferior a 100kg.
  • Áreas para acomodar carga com peso superior a 1000kg.
  • Cofres para cargas de altíssimo valor agregado.
  • Salas para cargas vivas.
  • Área para bagagens desacompanhadas.
  • Locais de recebimento, conferência e expedição, tanto para cargas importadas quanto para exportadas.
  • Espaço para Controle de pragas das paletes que possam conter pragas.

Layout

A maior relevância durante o projeto de um novo armazém se dá em vista de como será o seu layout, ou seja, como as suas áreas de armazenagens ficarão organizadas utilizando o maior espaço possível da quantidade do armazém e facilitando também a movimentação dos materiais em seu interior, e um layout ideal é aquele que busca minimizar a distância total percorrida com a movimentação eficiente dos materiais, agilizando o processo como um todo e com isso também minimizando o risco de ocorrência de avarias.
  • Utilizar existente do armazém com a maior eficiência possível atingindo assim a eficácia.
  • Facilitar a movimentação de materiais.
  • Minimizar os custos de armazenagem quando este atende a níveis de exigência.
  • Facilitar sua arrumação e também limpeza do mesmo.

Logísticas & o meio ambiente

As cidades oferecem múltiplos desafios e oportunidades importantes ao sector imobiliário. 
O crescimento do ecommerce e a procura de instalações para a última etapa da cadeia de abastecimento estão a impulsionar o interesse dos promotores e investidores imobiliários pela logística urbana.
As cidades oferecem múltiplos desafios e oportunidades importantes ao sector imobiliário, não só o aumento da procura deste tipo de instalações logísticas, como também a necessidade de encontrar novos modelos de logística urbana sustentáveis e que potenciem a eficiência, reduzindo os efeitos adversos no meio ambiente e sociedade. Paralelamente, está previsto que o aumento das entregas noturnas possa reduzir os efeitos do tráfego em horas de ponta.
A preocupação com o meio ambiente nas cidades e a necessidade de melhorar a eficiência logística acarretam mudanças significativas nas operações logísticas em muitas cidades de maior dimensão da Europa, nas quais os problemas ambientais e a eficiência são mais graves”, “um aumento da procura de diferentes tipos de propriedades logísticas, as quais, serão cada vez mais frequentes”, para a necessidade de existência de pontos de transferência de mercadorias, centros de consolidação partilhados por vários utilizadores, instalações locais para cobrir a ultima milha das entregas, incluindo instalações centralizadas de click and collect, plataformas logísticas multimodais e meios de transporte alternativos e instalações subterrâneas.