Armazenamento, transporte, distribuição, recursos humanos, organização.

Glossário de Termos Utilizados na Logística Letra A

Letra A

Este dicionário de termos técnicos logísticos é o resultado de uma ampla pesquisa que utilizou como fontes publicações técnicas em logística e pesquisas diversas em sites voltados para a logística e sites de provedores de serviços logísticos.

A

A-FRAME – É um sistema de alta produtividade capaz de separar centenas de pedidos em um curto espaço de tempo, com grande precisão e com reduzido quadro de pessoal. É um sistema modular, integrado por uma esteira transportadora, sobre a qual existe uma estrutura composta de uma série de canais que cobre ambos os lados da esteira. Cada canal trabalha com um determinado SKU, tendo capacidade de armazenar diversas unidades. No final da linha os produtos são automaticamente transferidos para caixas e transportados para as áreas de embarque. Esses sistemas são chamados de A-frames porque sua estrutura tem o formato da letra “A”.

ABASTECIMENTO DIRETO – Canal de distribuição com a ausência de intermediários entre o produtor e o consumidor final. O produtor assume as responsabilidades que normalmente são repassadas a um intermediário.

ABASTECIMENTO INDUSTRIAL – Atividade dedica a prover à empresa todas as suas necessidades de serviços, ativos fixos, materiais, utilidades e cuidar da recuperação, venda e descarte de seus resíduos de equipamentos, materiais, efluentes e energia.

ABC – ACTIVITY BASED COSTING – Este sistema considera que os recursos de que a empresa dispõe servem para realizar as atividades que são demandadas pelos clientes, sendo que os custos e despesas indiretas constituem recursos para se prestar serviços segundo atividades identificadas nos serviços.

ABC ANALYSIS – Exame e conclusões da classificação ABC.

ABC CLASSIFICATIONS – Classificação de dados por ordem decrescente de montante acumulando-se os percentuais realizados em relação ao total. O grupo de 10% ou 20% que representam 50% ou 70% do total é denominado A. O grupo C representa 50% a 70% dos itens que perfazem apenas 10% a 30% do montante.

ABC – INVENTORY CONTROL – Trata-se de um sistema de controle das existências, baseado nos conceitos da distribuição ABC.

ABM – Activity Based Management.

ABSENTEÍSMO – Falta ao trabalho de um operário que foi escalado para aquela ocasião.

AÇÃO – Etapa que ocorre dentro de uma operação; ato de transformação ou criação.

AÇÃO CONTENTORA – Ação que faz cessar de maneira imediata, os sintomas de anomalias sentidos pelos clientes.

AÇÃO CORRETIVA (1) – Ação implementada para eliminar as causas de uma não-conformidade, de um defeito ou de outra situação indesejável existente, a fim de prevenir a sua repetição.

AÇÃO CORRETIVA (2) – Ação que elimina permanentemente e pela raiz a causa de um determinado problema.

AÇÃO PREVENTIVA – Ação implementada para eliminar as causas de uma possível não-conformidade ou outra situação indesejável, a fim de prevenir a sua ocorrência.

ACCURACY – Grau de conformidade em relação a um padrão.

ACEITE – Documento assinado pelo Cliente que formaliza a aprovação de uma cotação para que o fornecedor entregue um produto ou serviço.

AÇÕES CORRETIVAS (I) – Mudanças realizadas para ajustar às performances futuras da implantação do projeto às linhas planejadas anteriormente.

AÇÕES CORRETIVAS (II) – Uma mudança no Projeto ou no Processo de Fabricação/Montagem para prevenir ou reduzir a ocorrência de uma causa, de um modo de falha ou atenuar os efeitos de um modo de falha. Uma ação implementada para eliminar uma deficiência de projeto ou processo. As ações recomendadas reduzem pelo menos um dos índices: Severidade, Ocorrência, Deteção.

ACOLCHOAMENTO – Resultado da aplicação de elementos protetores contra choques e vibrações.

ACONDICIONAMENTO (I) – Dados relativos à apresentação coletiva de um item, constituídos do tipo de recipiente de acondicionamento de conteúdo (quantidade e unidade de embalagem). Exemplo: Caixa com 50 latas.

ACONDICIONAMENTO (II) – Recipiente destinado a proteger, acomodar e preservar materiais destinado a expedição, embarque, transporte e armazenagem. São: sacos, barris, barricas, tambores, tonéis, baldes, caixas, engradados, pacotes, amarrados, cilindros, botijões, caixotes, camburões, fardos e que tais.

ACONDICIONAMENTO (III) – Recipiente ou invólucro destinado a proteger e acomodar materiais e equipamento
embalados, ou para os quais não se utiliza embalagem por ser desnecessário ou inaplicável.

ACONDICIONAMENTO DE TRANSPORTE – Meios de transporte, tais como cofres de carga, carrocerias e tanques de caminhões, vagões e tanques ferroviários e tanques portáteis.

ACTIVITY-BASED-COSTING – ABC – Sistema de custeio que acumula custas nas atividades desenvolvidas e utiliza Cost Drives para absorver estes custos nos produtos, clientes, mercados ou projetos.

AD VALOREM – Taxa de seguro cobrada sobre certas tarifas de frete ou alfandegárias proporcionais ao valor total dos produtos da operação (Nota Fiscal).

ADMINISTRAÇÃO LOGÍSTICA – Processo de planejamento, implementação e controle do fluxo eficiente e eficaz de matérias-primas, estoque de produtos semiacabados, acabados e do fluxo de informações a eles relativos, desde a origem até o consumo, com o propósito de atender aos requisitos dos clientes.

ADUANA (CUSTOM) – Impostos ou taxas, definidos pelo Governo, sobre produtos importados ou exportados de um país.

AEROPORTO HUB – Aeroporto que serve como ponto para início e conclusão de voos de longa distância; voos a áreas de custo maior são levados ao aeroporto hub para voos com conexão/despacho.

AFRMM – Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante.

AGENTE MARÍTIMO – Empresa intermediária que, em nome e por conta do armador ou da empresa de navegação proprietária do navio, atua como depositária das mercadorias enquanto estas se encontram no terminal portuário, assumindo a sua receção e entrega e cobrando os respetivos fretes.

AGVS – AUTOMATED GUIDED VEHICLE – Rede de movimentação que automaticamente orienta um ou mais transrobots e os posiciona em determinadas destinações sem a intervenção de qualquer operador.

AGVS – Automated guided vehicle system (Sistema de veículo guiado automatizado)

ALFANDEGADO – Stock de produtos em custódia do governo em armazéns alfandegados de onde os produtos podem ser retirados apenas com o pagamento de taxas ou impostos para as entidades governamentais apropriadas.

ALIANÇA ESTRATÉGICA HORIZONTAL – Ligação com outra empresa com o propósito de ampliação de seu mercado e escopo geográfico. É o que tem acontecido com empresas do setor de aviação, no transporte de passageiros.

ALIANÇA ESTRATÉGICA VERTICAL – Ligação com outra empresa com o propósito de obter vantagens e ampliar competências como acesso a capital, tecnologia, habilidades ou atendimento de determinada região.

ALTO GIRO – Característica atribuída a um item ou material devido à sua alta frequência de uso ou elevada utilização em determinado período.

ANCORADOURO – Local para atracar embarcações em portos.

ANSI X12 – Um conjunto de normas promulgadas pelo American National Standards Institute, para uso na formatação e manuseio de documentos relacionados a compra transmitidos via EDI.

AOD – Acknowledgement of Delivery (Conhecimento de entrega)

APICS – American Production and Inventory Control Society.

APS – Advanced Planning Systems ou Planejamento da demanda do suprimento, programação, execução avançada e otimização.

AQUISIÇÃO DE MATERIAIS – Atividade responsável pela procura de fornecedores e materiais e obtenção pela compra, transformação, permuta e doação.

ÁREA DE EXPEDIÇÃO – É a área demarcada nos armazéns, próxima das rampas/plataformas de carregamento, onde os materiais que serão embarcados/carregados são pré-separados e conferidos, a fim de agilizar a operação de carregamento.

ÁREA DE QUEBRA – É a área demarcada nos armazéns, geralmente próxima da entrada, onde as embalagens, produtos e materiais recebidos são desembalados, separados, classificados e até pré-embalados de acordo com o sistema ou interesse de armazenamento do armazém/empresa.

ARMAZÉM – Área destinada à guarda de materiais. Lugar coberto, onde os materiais/produtos são recebidos, classificados, estocados e expedidos.

ARMAZÉM ALFANDEGADO – Bonded Warehousing. Tipo de armazém no qual as empresas colocam os produtos sem a necessidade de pagar taxas ou tarifas aduaneiras. Necessita de aprovação do governo e fica permanentemente sob leis e garantias de funcionamento.

ARMAZÉNS INFLÁVEIS – São chamados estruturas infláveis – ou pneumáticas – aquelas sustentadas pela diferença de pressão de ar entre as suas partes interna e externa, criada com o auxílio de ventiladores.
Os ventiladores são acionados mecanicamente por motores elétricos e a diesel e são dimensionados de acordo como volume de ar necessário à estrutura.

Em conjunto com as aberturas para saída de ar, os ventiladores geram a renovação completa do ar interno, em média, a cada 15 minutos. Esse sistema permite vencer grandes vãos livres, sem o uso de colunas internas, tesouras ou tirantes e, consequentemente, possibilita o total aproveitamento do espaço. Os depósitos infláveis são produzidos com tecidos de fibra de poliéster de alta tenacidade, revestidos de PVC aditivado, formando um conjunto Auto extinguível.
Esses tecidos têm cores firmes e acabamento laqueado, além de grande resistência a cargas de tração.

ARMAZÉNS ESTRUTURAIS – Os armazéns estruturais são recobertos com lona, tecido sintético ou coberturas especiais e têm a estrutura de aço ou alumínio. Diferentemente dos armazéns infláveis, os estruturais não se prendem a limitações de comprimento ou largura, podendo-se conjugá-los sem limites em diferentes dimensões desde que se disponha da área necessária para operação.

ARMAZÉM PRIMÁRIO – Local destinado ao armazenamento de UNIMOVS.

ARMAZÉM SECUNDÁRIO – Local destinado ao armazenamento de UNICOMS, ou o módulo mínimo de vendas.

ARMAZÉM TERCIÁRIO – Local destinado ao armazenamento de UNIAPS, embalagens de apresentação com as quais os usuários têm contato direto.

ARMAZENAMENTO DE MATERIAIS – Atividade que tem a responsabilidade da guarda, preservação e segurança dos materiais. Incluí o recebimento, conferência, fornecimento, transferências e devoluções.

ARRANJO FÍSICO – É a arte e a ciência de se converter os elementos complexos e inter-relacionados da organização da manufatura, e facilidades físicas em uma estrutura capaz de atingir os objetivos da empresa pela otimização entre a geração de custo e a geração de lucros.

AS/RS – Automated storage/retrieval system. Os sistemas de stock e coleta automáticos (AS/RS) capazes de operar com unidades de movimentação mais fracionadas são conhecidos como miniload. No entanto, mesmo os miniload são capazes de operar apenas com caixas, ou itens de grande volume. O seu funcionamento é bastante parecido com o do trans-elevador (unit load). Entre as principais vantagens do miniload pode-se destacar a sua precisão e velocidade, além da potencialidade de operar com uma grande variedade de itens. Entre as desvantagens, destacam-se o elevado custo de implementação e manutenção, e a falta de flexibilidade desses sistemas.

ASN – Advanced Shipment Notification ou Aviso Prévio de Embarque. Informe antecipado aos Clientes alertando quando os produtos deverão chegar.

ASSEMBLE – TO – ORDER – Ambiente industrial onde o produto ou o serviço possa ser montado a partir de um pedido do cliente, considerando que as componentes chaves estão providenciados antecipadamente.

ASSISTÊNCIA AO FORNECEDOR (Supplier Technical Assistance) – Grupo para o suporte de fornecedores para garantir a qualidade dos produtos.

ATACADISTA – Intermediário entre fabricantes e retalhistas. Compra e vende as mercadorias, trabalhando para diversos fornecedores, inclusive empresas concorrentes.

ATENDIMENTO DO PEDIDO (ORDER FULLFILMENT) – Processo que envolve o recebimento dos pedidos, planejamento, programação e entrega dos produtos.

ATO – Assemble To Order, só é fabricado por encomenda.

ATP – Advanced Technology Program (Programa de Tecnologia Avançada)

ATP (I)- Available To Promise (Disponível para promessa)

AUDITORIA – Uma comparação objetiva entre as ações implementadas e as políticas e planos estabelecidos.

AUTOPORTANTES – Neste sistema são as próprias colunas das estruturas de armazenagem que suportam todos os esforços próprios do edifício, seja nas laterais ou na cobertura. Em função disso, a estrutura tem que ser estudada especialmente para que possa receber diretamente as paredes exteriores. É utilizado para alturas acima de 20 m e há tolerância tanto no projeto quanto na fabricação das estruturas mínimas. Estas exigências são necessárias, pois são utilizados transelevadores neste nível de altura.

AVALIAÇÃO – Parte do controle que consiste na comparação da situação real com a planejada, identificação de desvios e proposição de ações corretivas.

AWB – Air Waybill ou Conhecimento de Transporte Aéreo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: