O pensamento, o ensino e as necessidades de capacitação em logística

Da distribuição física ao supply chain management.


Quando a concorrência era menor. Quando os ciclos dos produtos eram mais longos e a incerteza era mais controlável, tinha-se sentido perseguir a excelência nos negócios através da gestão eficiente de atividades isoladas como:

Compras,

Transportes,

Armazenagem,

Fabricação,

Manuseio de Materiais e Distribuição.

Todas estas funções eram desempenhadas por especialistas, cujo desempenho era medido por indicadores como custos de transportes mais baixos, os stocks mais reduzidos e compras ao menor preço.


Atualmente já não é assim, os mercados estão cada vez mais globalizados e dinâmicos e os clientes cada vez mais exigentes. Para fazer fase, proliferam cada vez mais as linhas e modelos de produtos, com ciclos de vida bem mais reduzidos. A coordenação da gestão de materiais, da produção e da distribuição passou a dar respostas mais eficazes aos objetivos de excelência que o mercado exige. Apareceu então, o conceito de Logística Integrada. Isto significou considerar como elementos ou componentes de um sistema todas as atividades de movimentação e armazenagem que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição dos materiais até o ponto de consumo final, assim como os fluxos de informação que gerem os produtos em movimento.


O conceito de Supply Chain Management surgiu como uma evolução natural do conceito de Logística Integrada. Enquanto a Logística Integrada representa uma integração interna de atividades, o Supply Chain Management representa sua integração externa, estenda-se a coordenação dos fluxos de materiais e de informações aos fornecedores e ao cliente final.
A gestão da cadeia como um todo pode proporcionar uma série de maneiras pelas quais é possível aumentar a produtividade e, por consequência, contribuir substancialmente para a redução de custos, assim como identificar formas de agregar valor aos produtos. Em primeiro plano estariam a redução de stocks, compras mais vantajosas, a racionalização de transportes, a eliminação de desperdícios, etc. O valor, por outro lado, seria criado mediante prazos confiáveis, atendimento no caso de emergências, facilidade de colocação de pedidos, serviço pós-venda, etc.


Isso nos remete à evolução do pensamento logístico.
Que cada momento, a prática da logística reflete e ao mesmo tempo alimenta o pensamento logístico, em uma criativa interação entre o meio acadêmico e o meio empresarial.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.