Linguagem Logística

Para melhor entendermos a linguagem da Logística, será preciso primeiro, esmiuçar um pouco alguns termos.
Antes de mais nada, é fundamental entender que todas essas palavras se referem a estratégias de gestão de stock, seja em um Centro de Distribuição (CD) ou o armazém.
Esses modelos permitem organizar todo o fluxo de entrada e saída dos produtos, definindo diretrizes e favorecendo cálculos como a receita de venda e o valor do stock remanescente, com por exemplos:
FIFO (PEPS): FIFO é uma sigla para First in, first out ou Primeiro a entrar, primeiro a sair, na tradução em português. Trata-se de uma estratégia de gestão de stock na qual os produtos que estão armazenados há mais tempo são despachados primeiro para os consumidores. Isso garante que o custo da mercadoria vendida e o custo do stock remanescente sejam correspondentes.
LIFO (UEPS): o termo se refere a Last in, first out ou Último a entrar, primeiro a sair, em português. Nessa estratégia, o produto mais recente no stock (com menor tempo de armazenagem) é despachado primeiro. Com isso, pode haver divergência entre o custo da mercadoria vendida e o custo do stock remanescente, já que nem sempre é possível pagar o mesmo preço por lotes distintos de produtos.
Exemplo do FIFO e do LIFO
FEFO: significa First expired, first out ou Primeiro a vencer, primeiro a sair em português. Nesse modelo os produtos com data de validade mais próxima são despachados primeiro, pouco importando há quanto tempo os itens estão estocados.
Antes de mais nada, é fundamental entender que todas essas palavras se referem a estratégias de gestão de stock, seja em um Centro de Distribuição (CD) ou o armazém.

Esses modelos permitem organizar todo o fluxo de entrada e saída dos produtos, definindo diretrizes e favorecendo cálculos como a receita de venda e o valor do estoque remanescente.

Tipos de Inventários

Tudo o que se possui em stock descrito e analisados em relatórios. Com este serviço, é possível ter uma verificação das finanças, auxiliando no processo comercial, de expansão e na otimização dos processos dentro da companhia.
De acordo com as necessidades do seu negócio, a melhor solução será definida para si, entre:
a) Inventário Geral;
b) Inventário Parcial ou Dinâmico;
c) Inventário Rotativo;
d) Inventário Cíclico;
e) Inventário Anual
Inventário Dinâmico:  é a contagem de itens específicos do stock.
Inventário Geral: é a contagem de todos os itens existentes no stock.
Inventário Rotativo: é a contagem dos itens mais utilizados, são programados de modo que os itens sejam contados de uma frequência pré-determinada.
Inventário Cíclico: é a contagem de um inventário selecionando alguns itens e imediatamente divergindo com seu sistema de gestão. saiba mais.
O processo de contagem garante um alto nível de acerto e confiabilidade. O inventário de stock visa o desenvolvimento de relatórios descritos e analíticos sobre todos os itens presentes na empresa.

Do latim inventariu

Um inventário é uma relação dos bens pertencentes a uma pessoa falecida, a uma empresa ou a uma cultura. No caso dos inventários nas empresas, se refere aos bens disponíveis em stock para venda no processo normal de um negócio, ou a serem utilizados na fabricação de produtos comercializados pela empresa, e costumam conter a descrição do produto bem como a quantidade existente e o local onde se encontra.
Também existem inventários (móveis, equipamentos, suprimentos, etc.) que não se pretendem vender. 
O inventário das empresas de manufatura, distribuidores e vendedores por grosso, geralmente, encontram-se reunidos em depósitos ou armazéns, enquanto que vendedores a retalho mantêm o inventário em um depósito ou em lojas acessíveis ao consumidor. O inventário nas empresas deve ser controlado, pois, se não for controlado, estará a expor ao roubo, pois o inventário é “um dinheiro disfarçado na forma de um bem ou stock”. Além disso, se não for controlado, não se saberá o real nível do stock.
Quanto menos eficaz o sistema de controle interno, mais importante será a execução de inventários físicos na data do balanço. Empresas que têm bons controles analíticos dos stocks podem adotar o sistema de contagens rotativas, isto é, contagens feitas durante o ano, dando maior relevância aos bens mais importantes e conferindo uma frequência menor aos de pequena importância.
As organizações de manufatura, normalmente, dividem seus produtos em inventário em:
  • matéria-prima – materiais e componentes a serem utilizados na fabricação de um produto.
  • material em processo – materiais e componentes que já começaram a sua transformação para um produto acabado.
  • produto acabado – produto pronto para a venda ao consumidor;
  • produtos para revenda.

Metodologia

O objetivo geral deste trabalho é poder trazer as principais informações que devem ou pelo menos deveriam ser tomadas em relação a gestão de armazéns, desde a decisão por optar em implantar um armazém próprio para empresa, ou então por contratar o serviço de armazenagem, escolha do local no qual ele será implantado, materiais que deverão ser utilizados, layout entre outros, todos esses visando uma melhor gestão. 

Algumas exemplificações são trazidas para que se possa entender melhor sobre o assunto tratado aqui, sendo que esses exemplos serão somente baseados em casos trazidos da realidade e adaptados para serem colocados de forma literária.
Este trabalho visa uma análise teórica, porém com pequenas exemplificações, de como uma excelência em gestão de armazéns pode ajudar a empresa a tomar um rumo mais qualificado em suas decisões frente ao mercado consumidor. 
Alguns dos exemplos trazidos foram obtidos através de pesquisas bibliográficas, exemplos tais principalmente trazidos por empresas americanas e japonesas e dos apontamentos das formações de Armazenagem e de Operador de Logística. 
Porém a exemplificação e exposição do tema principal foi completamente retirada de exemplos da indústria nacional que possuem um nível de excelência que pode ser tomado como exemplo para o resto do mundo devido a excelência em sua gestão, como é o caso dos armazéns frigoríficos e aeroportuários.