Operador Logístico V

Como tomar a decisão
Uma vez ponderadas as vantagens e desvantagens relacionadas com a subcontratação, esta opção deverá ser seguida caso se verifiquem as seguintes condições:
Os custos relacionados com a realização direta da armazenagem (custos com pessoal, espaço, manutenção, etc.) são superiores aos cobrados pelo operador logístico;
nível de serviço assegurado pelo operador não é inferior ao obtido com a opção de armazenagem própria (para salvaguardar este ponto, deverão ser introduzidas cláusulas de penalização nos contratos);
Os investimentos necessários para a criação de centros de distribuição em novas áreas geográficas são elevados, tanto em montante como nível de risco;
Acesso total à informação detida pelo operador quanto à realização da nossa atividade de armazenagem.





































Bibliografia
Krajewski, Lee J. e Ritzman, Larry P.; Operations Management; Addison-Wesley

Tixier D., Mathe, H. e Colin, J.; A Logística na Empresa ; Rés-Editora, Lda.

Operador Logístico IV

Desvantagens da subcontratação
Existem algumas barreiras que podem retardar e até mesmo inviabilizar uma estratégia de subcontratação. Eis as principais:
Obstáculo estratégico – Certas empresas mostram-se reticentes em atribuir a realização de funções de charneira, como é o caso da armazenagem e distribuição física, a empresas externas. Esta atitude pode dever-se mais a uma certa imaturidade, desconfiança e timidez dos gestores de logística da empresa do que a um cálculo objetivo do risco envolvido. Em muitos casos, bastará uma atuação mais rigorosa ao nível da definição dos instrumentos de controlo a aplicar ao prestador de serviço para a subcontratação se justificar.
Obstáculo social – Pode ser uma desvantagem real quando ocorrem movimentos de concentração dos meios de produção e de armazenagem que tornam o recurso a um prestador de serviço na solução economicamente mais viável, embora mais dolorosa para a empresa. Isso poderá suceder quando a subcontratação implicar a eliminação de postos de trabalho redundantes o que perturbará a paz social na empresa e o nível de motivação dos empregados.
Obstáculo relacionado com investimentos anteriores – Um fabricante pode ter realizado investimentos no passado, sendo penalizado por opções anteriores e pela inércia de um sistema constituído por meios próprios, do qual tem dificuldade em se desembaraçar. Não é raro verificarem-se situações em que a logística permite o envelhecimento e degradação dos seus meios próprios de armazenagem até ao ponto em que será inevitável o recurso a um prestador de serviço externos.
Obstáculo relacionado com a falta de transparência do prestador – Dúvidas quanto à perfeita transparência da atividade do prestador, garantindo a total circulação de informação de gestão. Daí a importância da existência de uma função de ligação na empresa, capaz de organizar, negociar e controlar o relacionamento com o prestador de serviço. A transferência das funções para os membros da cadeia logística melhor preparados para as executar, é um processo que exige uma sincronização e eficiência crescente em toda a cadeia. É preciso não esquecer que transferir a realização da atividade de armazenagem não significa necessariamente que esta deixe de existir.
Obstáculo da dependência externa – Algumas empresas consideram que a atividade de gestão física de armazéns é demasiado crítica para ser entregue a terceiros, sendo preferível a sua realização direta. Muitas vezes esta opção é justificada por se considerar que o grau de dependência é excessivo. Esta hipótese deve ser cuidadosamente avaliada, para controlar o risco de estar a tomar uma decisão economicamente penalizadora para o futuro da empresa.

Operador Logístico III

Vantagens da subcontratação
Os principais benefícios oferecidos por um prestador de serviços de armazenagem, e que um fabricante pode aproveitar, são:
Economia de investimentos especializados e periféricos – No caso dos gastos em material de transporte, de manutenção e de armazenagem não serem estratégicos para o negócio, o recurso à subcontratação é a estratégia adequada. Por exemplo, no caso da imprensa toda a área de distribuição é, em regra, entregue a empresas especializadas que se encarregam da gestão do transporte, entrega e devoluções de materiais. Outra vantagem nesta área prende-se com o facto de um prestador de serviço especializado ter, em regra, maior capacidade financeira para investir em meios técnicos e humanos.
Economia de competências – Os prestadores especializados estão melhor posicionados para apreciar as evoluções tecnológicas em curso na área da logística dado que possuem competências nessa área. Por exemplo, o extraordinário desenvolvimento das técnicas de armazenagem ao nível da automatização e robotização dos equipamentos, está a modificar radicalmente as ideias feitas sobre a dimensão ótima das operações de armazenagem e da produtividade das respetivas operações.
Redução dos custos logísticos – Pode ser obtida pelo aproveitamento de economias de escala e ganhos de produtividade. A qualidade do serviço e a fiabilidade das operações é geralmente superior quando feita por empresas especializadas. O prestador de serviço conhece melhor os seus custos logísticos o que facilita definição de preços e de outras condições de satisfação da encomenda.
Flexibilidade – O recurso à subcontratação assegura uma maior flexibilidade na escolha da localização dos armazéns e das técnicas de armazenagem utilizadas. Em caso de distorção, o prestador do serviço pode ser substituído (dentro dos limites dos contratos estabelecidos), não ficando o fabricante paralisado pela inércia dos seus próprios meios. Deste modo, os custos fixos para a empresa podem ser convertidos em custos variáveis.
Velocidade – A subcontratação permite o rápido acesso a novas áreas de mercado sem a empresa ter que efetuar importantes investimentos prévios e irreversíveis. Isto é válido para o mercado nacional, mas sobretudo para os mercados externos, que implicam geralmente uma presença física efetiva, no terreno, sobretudo se os fluxos de distribuição não forem regulares.

Redução de custos operacionais gerais – Quando se opta pela subcontratação todas as atividades complementares à armazenagem são, naturalmente, da responsabilidade do prestador de serviço. Neste domínio podem incluir-se tarefas como: higiene e limpeza; monitorização de eventuais condições especiais (temperatura, humidade, etc.); segurança das instalações ou manutenção e conservação de materiais.